sexta-feira, 11 de abril de 2008

Quase uma decisão fatal

- O medo não era infundado, era?
- Puxa, pior que não. Me dei mal. Erraram mesmo a mão e quase passei dessa pra uma melhor.
- Mas você pressentiu isso?
- Na verdade sempre considero as possibilidades, diria. Pressentir não! Mas aquele dia eu considerei essa possibilidade e estava certa.
- Por isso sumiu assim,por tanto tempo?
- Sim, e não posso dizer que estou inteiramente de volta. Ainda estou um pouco debilitada e na verdade, meio sem coragem de recomeçar. Fraca, fraca, afinal quase cruzei a barreira do conhecido.
- Imagino. Mas estás bem?
- Sim, o baque foi grande, mais eu sou forte e estou bem sim, melhorando todo dia.
- Algum medo novo?
- Para ser honesta vários. Quanto mais me aproximo deles, mais medo tenho. Mas o mais novo medo é o de DECISÕES FATAIS por enquanto.
- A-ha, essa é boa. É disso que seu blog é feito.
- Não agora. Por isso estou quietinha. Nada fatal. Amo muita gente fora daqui e aqui pra atitudes fatais. Sem fatalidades caros amigos, não me esqueçam.

3 comentários:

Luci disse...

Te esquecer, jamais, minha querida Camis... Vc é eterna em minha vida - inesquecível!!!

Aparece!!!

BJO!!!!!!!!!!

Narradora disse...

Melhoras.
Bjs.

Narradora disse...

Melhoras.
Bjs.