quarta-feira, 13 de agosto de 2008

Hoje


Peguei estrada longa. “Dirigir pra frente”, me dizem. O sol estava nascendo, ofuscou minha visão. Segui com a sorte de saber que chegaria. Fui quilometro por quilometro montando o quebra cabeça de criança com mesa grande, porta alta, cadeira baixa e cama desarrumada. E não me diga que não me viu. Emoldurei-me à tua frente, para transformar-me em para sempre.

11 comentários:

anderson eduardo disse...

Beleza de post hein, adorei tudo por aqui, voltarei... abração e tudo de bom em sua viajem

vimaguin disse...

...sabe o que temos de melhor nesta vida, minha linda?...temos o poder de fantasiar tudo que nossa mente permitir...e pobre de quem não entender deste baile!!...nunca saberá o que é o sabor desta dança louca!...que bom ver seu selinho aqui...bjssssssssssssss na alma, lindeza!

Anderson Cádor disse...

Tebet,

leia o conto "A auto-estrada do sul", do Julio Cortázar.

Lembrei na primeira linha desse teu escrito.

Abraços...

Daniel disse...

Vez e outra a bom pegar e estrada e vagar sem destino. Faz bem pra cuca e pro coração; novas paisagens, novos pensamentos... Bjus.

http://so-pensando.blogspot.com

Graziele Alencar disse...

As expectativas emolduram-nos, mas o máximo que podemos ter é o eterno enquanto durar (como disse o poeta).
Talvez o sol também tenha ofuscado a visão dele...
Beijos.

Dauri Batisti disse...

Pegar estrada longa é um sonho. As vezes vejo a estrada mais curta do que sonhei e fico levemente melancólico. Mas quem sabe tudo foi por causa do sol, ele deu-me a ilusão, quando ofuscou minha visão.

Assim que sou disse...

Eu não aprendo a não esperar. É um vício incorrigível, mantra que sonoriza-se em meus ouvidos e reverbera para mais ou para menos. Depende da luz, do calor, do sonho, da dor, do raciocínio, da urgência, da lucidez. Atropelo-me tantas vezes, mas - se há algo de bom em tudo isso ( e sei que há!)- sempre levanto. Arranhão aqui, torção acolá. Mas seguindo em frente, tal qual sua estrada. Quilômetro por quilômetro. Tentando ser vista e - diga-se - até sendo, não é mesmo?
Desculpe o comentário imenso. Seus posts são sempre inspiradores para mim.

PS: No último comentário que você fez no meu blog falou do meu último comentário, dizendo que já o tinha lido umas oito vezes. Achei interessante e fiquei pensando em que aspecto poderia ter provocado sua indagação. Enjoy yourself!!!

beijo. Verônica

Narradora disse...

"Emoldurei-me à tua frente, para transformar-me em para sempre."

Achei linda a frase.
Boa sorte com o para sempre.
Bjs

Carolina Sperb disse...

andar nos faz ver o quanto somos fortes e fracos. o quanto somos inconstantes com o vento que bate no rosto e nos remete a pensar e lembrar de coisas que queriam (e às vezes até mereciam) ser esquecidas.
ele te viu. mas sabe, ele e você, que não é pra sempre. nunca é.

saudade de você, minha querida.
beijos

João Neto disse...

E siga em frente. Não, atrás não vem gente. Mas não há outra saída, senão continuarmos.

Alexandre Henrique disse...

Muito bonito. A estabilidade de um momento.. é o sorriso. Lindo Camilla, Sol. :)