quinta-feira, 11 de dezembro de 2008

Desculpem a menina

Sentei para contar uma história. E por que não uma história que se conta sozinha? Uma história assim que vai acontecendo conforme as letras vão saindo. Uma história assim de uma menina que não conhece bem o caminho e se perde em meio a tantas árvores. São pedras também. Afinal todo mundo encontra pedras no meio do caminho, disse o poeta. E pedras para pular. Assim escolhe a menina que pula. Mas a história é dela e de pedras e árvores se faz um conto que tenta contar sua história. Perdida, a menina anda, anda e parece chegar a lugares errados. Bate às portas, pergunta quem mora nas casas. Ouve os barulhos, sente os cheiros e sabe que está nos lugares errados. Ela se sente mal. Não quer mais lugares errados. A menina que caminha quer chegar a lugares certos para viver em harmonia com árvore e pedras, porque elas não deixam de existir. Ela dorme, na cama emprestada, que pode ser dela também se quiser. Acorda e volta a bater em portas. Nada de encontrar o que procura. Uma busca, assim deveria se chamar a história da menina perdida. Ela não se lembra de quando se perdeu. Foi acontecendo assim, devagar, uma rua errada depois da outra. Um caminho torto aqui, uma viela ali e lá estava ela, muito longe de onde queria realmente estar. Voltar a achar o caminho é tarefa árdua de quem tem bons sapatos e força nas pernas. Às vezes ela se cansa, outras, pensa em desistir. Perde o lugar das vírgulas, esquece os acentos e assim sente-se ainda mais fora do caminho. Mas assim a menina vai procurando, na ansiedade normal de uma menina que se perdeu e o caminho parece longe, ou encontra-lo demanda muita força, que ela não tem. A menina não sabe mais como escrever. Desculpem a menina.

29 comentários:

Vivian disse...

...existe alguma menina
nesta vida,
que alguma vez não se perdeu
em emoções?

meninas que não tenham
histórias para contar,
sejam elas de amores desencontrados,
beijos não dados,
desejos reprimidos,
ou até de finais felizes?

toda menina tem o direito
de perder-se e reencontrar-se
mesmo que seja nas linhas
de uma página qqr.

saudades

muahhhhh com amorrrrrrr

Letícia disse...

Eu desculpo a menina e reconheço elementos de nossa vida na arte que a escritora Camilla Tebet explora e veste. Pedras e vírgulas... são os nossos dias, Camilla. E seu texto é bonito. Um lamento ou pedido de liberdade.

Bjs, Escritora.

tossan disse...

Imagina se soubesse!!! Bj

Anônimo disse...

Sei lá mas tenho lindo os textos dessa menina e ela parece sempre que está a procurar o caminho de casa. Anda nada e anda e nada de encontrar. Penso que poderia ajudar e sentássemos aqui e procurássemos no mapa. Beijo e Parabéns!

Dauri Batisti disse...

Meninas que se perdem não se perdem. Na verdade as meninas seguem outros rumos, os delas. O problema é que a ótica que se toma é a dos meninos. E, a partir do ponto de vista masculino elas parecem se perder. Mas, não. Elas fazem suas virgulas, ao modo delas. Curvas? é com elas.E os homens, ficam retos, bobos.

Beijo.

Daniel disse...

Desculpada rsrs. Bjus e bfs.

http://so-pensando.blogspot.com

edson marques disse...

Não há por que desculpá-la:

Ao dizer que não sabe mais escrever, ela demonstra que sabe.


Abraços, flores, estrelas..

Diego disse...

Desculpo.

Camila disse...

Pedras no caminho, lugares errados, menina perdida e texto procurando se achar. Li e não preciso desculpar você. Porque achar que não tem força para ancontrar caminho que parece distante é normal. E escrever texto perdido sempre faz bem pro autor e pro leitor também, nós nos achamos nele ou na em você.

A-dorei esse texto. Me identifiquei com ele.

Beijos!

Germano Xavier disse...

EU NÃO VEJO UMA MENINA PERDIDA, SANGRANDO. NÃO VEJO UM SINAL DE DOR OU DE MORTE MAIOR QUE. HÁ UM MENINA SE DESCOBRINDO ROSA OU ARMA DE MATAR BARREIRAS. HÁ UMA ALMA FLUTUANDO NO VÃO DO SER OU DO NÃO-SER. E ISSO JÁ BASTA, PORQUE É O MAIOR SINAL DE VIDA.

TEXTOS BONS AQUI, TEBET.

UM CARINHO.
CONTINUEMOS...

Jaque Lima disse...

a menina que é gente. é poeta. e encontra árvores e pedras. mas salbe ela que é assim a vida. de quem não sossega. daquele que procuram. por isso erra. um dia acerta.

Beijos!!!

Brescia Magalhães. disse...

estou simplesmente apaixonada pelo seu blog!
que difícil sair dele, menina!!

até trabalhar ficou mais fácil!!

é como se tivesse cheiro de coisa reconfortante!

enfim...

não podia sair sem dizer um valeu por ter amenizado o dia de trabalho com músicas, cores e leituras tão boas! de verdade!

israel disse...

todos nos temos um pouco dessa menina que você citou....


belo texto!!

bjo!!

Narradora disse...

Acertos e desencontros.
No fundo, a menina sabe que não tem o que desculpar, afinal, de buscas somos feitos (desfeitos e refeitos).
Beijo

Vivian disse...

...Riqueza da minha vida,

Natal é renascimento,
é confraternização,
é solidariedade,
é sensibilidade
diante do Mestre Jesus,
esta luz que nos guia
para as realizações
de todos nossos desejos
e sonhos.

Que assim seja!!!

Tenha um Feliz Natal!

Narradora disse...

Menina, feliz natal!
Bjs

Victor S. Gomez disse...

Feliz Natal amiga. Abraços

Janaina disse...

Ah não... a menina sempre sabe o que dizer, o que escrever. E o faz lindamente.
Feliz Ano Novo.
Volta, viu?

Luci disse...

Desculpar o quê, menina? Palavras tão bem encontradas, mesmo em um caminho que aparenta estar errado?Muitas vezes o que parece perdido é exatamente o caminho novo. Quem sabe não é paenas o novo se paresentando... ?
Desculpar o quê, menina das pedras - pedras sim, mas preciosas, viu?

Bjos. Que em 2009 você descubra o mapa e encontre, enfim, que sempre esteve no caminho certo!

Luciana

Friendlyone disse...

Toda vez que nos perdemos nos achamos. Isso é certo.

Ê Camilaaaaaaaaaaaa ôôô!!!

Espero que você continue se perdendo, pois quando te leio acho muitas coisas, inclusive sobre mim mesma.

Saudades,
Friendlyone.

Vivian disse...

...bom dia lindeza!

que delícia encontrá-la
passeando em meu cantinho.

sabes que te gosto muito,
mesmo que não venha tão
assiduamente aqui.

mas sempre à tua espreita,
isso sempre estou...rss

um beijo, amore!

Germano Xavier disse...

E imagine se ela soubesse, Tebet.

Passando e relendo o teu texto.

Carinho e um ano de 2009 feliz pra todos nós, Tebet.

Continuemos...

Dauri Batisti disse...

Passei aqui, mas vejo que você ainda não atualizou o blogue. Esperemos.

Beijo.

Marcela disse...

Primeira visita no seu blog, adorei.

A menina não precisa ser desculpada, porque se perder no caminho acontece com qualquer um.

Assim que sou disse...

A menina sabe escrever. Mas há tempo de adubar; tempo de colher; e tempo de hibernar. Somos todos fontes infinitas de saberes e medos. Só não sei se temos medo porque sabemos; ou se sabemos porque temos medo. Uma hora, fugidia qualquer, as palavras voltam, tomam seu assento em frente à tela e viram filme, livro, crônica, carta...palavras. Eu vou esperar, pode ter certeza.

bjs. Veronica

Janaina disse...

Cadê a Camilla?

Narradora disse...

Moça,
Manda a menina de volta :)
Bjs

Calu Baroncelli disse...

saudades do jeito que conta seus contos.

Juliana disse...

Imagina se soubesse... rsrsrs tá bom vai eu desculpo a menina até o próximo post :-) esse é meu Blog Brechó! http://asmeninasbrecho.blogspot.com/
vai vendo... rsrs