quarta-feira, 29 de abril de 2009


Chame seu joão


Chame correndo o seu joão que o parto se apressa. Parto de criança grande é dor de grito e de casa de barro que não viu médico. Chame correndo o seu joão que o parto já começou. Parto assim, que dizem normal, dói pra burro, coisa de mulher que pisa o chão descalça. Chame correndo o seu joão o parto está acontecendo e um rio- como o de ali perto – de sangue jorra da cama de bambu e a mulher só reclama mesmo o que sabe que é excesso. Chame seu joão que o filho nasceu e nasceu macho, coitado.



The house of the old girl by ~DR-PHOTOHOP

14 comentários:

Vivian disse...

...ah que delíciaaaaa
encontrá-la novamente
com as torneiras da
inspiração jorrando,
não sangue do parto
que acabamos de ler,
mas sim águas de
encantamento.

e quanto a chamar
o seu joão...
por que não uma dona
maria, para equilibrar
a vida do menino/(macho),
o mais novo habitante deste
hospício?
rsss

um beijo, amore mio!

©tossan disse...

Olha você de novo, ainda bem! Com um texto fabuloso, mas o que importa é você. Beijo

Camila disse...

Menina, que textão! Adorei a linguagem que você usou, super contextualizado. E o desfecho? A mais pura verdade.

Parabéns!

Beijos.

Denise disse...

Vim aqui e me perdi........me perdendo acabei me achando.

A lateral do seu espaço me fez suspirar fundo de tão emocionada q me deixou.

Pretendo perder-me e achar-me mais vezes por aqui.

Parabens

Denise

Germano Xavier disse...

Tebet,

li umas 3 vezes, e confesso que fiquei meio perdido, se é que há meio termo na perdição. Vou voltar em outro momento, talvez seja o mal do dia doido.

Um carinho, sumida.
Continuemos...

Mi disse...

Here you are again....welcome, sweety.
Vou te procurar aqui todos os dias , pois voce tem uma dívida eterna com seus leitores.
Jamais diga que as palavras não saem, mesmo porque voce acabou de passar por um parto mais que normal onde as letras já nasceram formadas, encantadas e cheias de vida. Regue-as todos os dias com sua própria vida, suas emoções, sentimentos e loucura.
Voce é boa nisso, menina. Não nos deixe orfãos de voce.
Beijos e muita luz.
Mi.

Clarissa Marinho disse...

Muito bom!Realista,e muito bem escrito!
;*

brisonmattos disse...

eu sei dessa dor também e admiro encantadao prazer que é te ler mesmo sem te entender.Um beijo.

Germano Xavier disse...

Li de novo e algo me fez remeter à obra de J.J. Veiga, em um conto de seu Cavallinhos de Platiplanto.

Um carinho, Tebet.
Bom feriado.

Continuemos...

Branca disse...

Pariu

Janaina Fainer disse...

q delícia ver vc escrevendo
saudades da autora e da amiga
bjsssss

Luis Fernando Scozzafave de Souza Pinto disse...

Ola,
Obrigado e vamos manter contato
Valeu!!
Luis

Letícia disse...

Hey,

Dor de parto só mulher entende. E o João sempre chega atrasado. O João sempre perde a hora.

Beijos, Writer.

JueLu disse...

Amei!!!!! quanto maior a demora melhor o vinho!