quinta-feira, 12 de março de 2009

simples assim


Preciso contar uma história. Uma história qualquer. Que seja. Preciso brigar para conseguir uma frase que me mostre . Preciso contar uma história. Como não consigo, conto essa então. Um dia, especificamente dia 19 de outubro de 2008 eu escrevi minha última história. Sim. A última de muitas, muitas, muitas. Escrevo desde que aprendi. Novinha. Diários, cartinhas, jornaizinhos feitos em sulfite com desenhos de uma infância longa. Depois a escolha da profissão e mais anos de muitas letras. Letras tristes, felizes, mornas, quentes, geladas, claras, escuras. Minhas letras. De repente, nesse dia de outubro, acabou. Acabou. Não consegui escrever mais nenhuma história. Vou ser mais figurativa.Em outubro passado virei a torneira que sempre virava e não saiu água. Pensei que fosse algum problema de encanamento, dia seguinte tentei novamente e no outro e no outro. Nada! Seco. Essa água era a que eu bebia, me lavava e vivia dela. Gente, estou suada, com as mãos sujas e com uma sede que vocês não imaginam. E a água não vem.

26 comentários:

Alma Nua disse...

...já pensou quando a água
chegar novamente?

e ela chegará sem dúvida
alguma, porque fonte
que é fonte em essência,
pode até escassear vez ou
outra...mas secar...NUNCA!

cuide-se, amor

saudades

bj

Juliana disse...

A água está aí dentro de vc, esquentando até ferver e sair de qualquer jeito, nem que seja como vapor...:-) relaxe e não espere uma água limpinha, qualquer lama já serve para fazer uma guerrinha... ti amuu bjs!

brisonmattos disse...

e vc diz isso aqui no Brasil...aqui não falta água não meu bem. Você, assim como o Brasil, é transbordante, é rica. Essa é uma crise passageira e logo vc vem cheia de energia mostrando a que veio nesse mundão de Deus. Verifique o registro. Aposto que vc esqueceu ele fechado, e está tentando abrir a torneira n o vazio. rs.Se precisar de uma ajudinha, chama aqui essa amiga que te adora e te curte de montão. Beijinhos.Corre lá abrir o registro...lerdinha! rs

tossan disse...

Ah... Camilla, você voltou! Eu gosto muito de te ler. Assim que puder escreva para nós. Beijo moça

Assim que sou disse...

Lendo teu texto pensei em todas as imagens figurativas que pudessem abrir o meu comentário. Busquei as metáforas e as onomatopéias. Mas elas não vieram. Quando já estava desistindo de dizer algo que te pudesse ser interessante, positivo, estimulante quem sabe, pensei na aridez e no tempo de semear. Árida você não é. Nem na mais esperta fantasia, jamais conseguiu ser. Não vi assim. Então é tempo de semear porque o outono vem aí. E com ele a temperatura mais baixa, a chuva constante e fininha, algum frio e muita esperança.
Hoje no meu post do outro blog falei que não gosto de textos piegas. Evito sempre os melodramas e, assim, não traria esse tom para cá. Mas tenho em mim um mãe eterna, sabia? E esse meu instinto deu vontade de chegar perto e dar colo. Nem sempre resolve, mas ajuda muito.
Semea com calma, não apressa a colheita. Vamos usufruir desse fruto. Vou estar por aqui olhando com calma e esperando com você.

bjsssss. Vê

Germano Xavier disse...

Tebet,

tente a caixa de esgoto.
De lá também pode sair boa coisa.
Até porque estamos lidando com o desconhecido.

Um carinho.
Continuemos...

Narradora disse...

Queria um monte de coisa pra falar sobre água e sede; e sobre pressa e agonia; e sobre fim e recomeço...
Mas, vai saber?
O caminho se faz é no pisar, não é isso que dizem?
Acho mesmo é que da sua sede a água vai brotar.
Bjs

Letícia disse...

Look who's back.

E pode sair falando das águas que não chegam que eu venho e leio. Se preocupa não. É só uma fase e tudo passa.

Bjs, Writer.

Luci disse...

Pois te digo uma coisa, cara Camilla: tô vendo tua água correr de novo. Será que vc não consegue perceber e nem sentir?
Lu

Jaque Lima disse...

fase de racionamento. uma espécie de reservar energia. descanso. secura. que dá sede. coisa estranha essa. mas num para de girar a torneira. vai que ela desentope assim sem querer mesmo.

beijos linda!

Beto Mathos disse...

De volta. Não "simples assim", mas, de volta, revigorado.

Beatriz disse...

Os teus textos, tuas histórias, são algo assim de nos enternecer profundamente. A gente te lê como se estivesse escutando uma amiga confidenciando algo, desabafando, falando da vida, falando das coisas, falando de tudo, e a gente ali, de olhar atento, muitas vezes de respiração suspensa para não quebrar a magia da conversa, apenas escutando...

Quem tem olhos de ver, verá! A verdadeira fonte não seca nunca! A poesia jorra por todos os lados!

Fica uma rosa azul e um beijo no teu coração, com meu carinho.

Clarissa Marinho disse...

Veio sim,olhaí!Gotinhas que já já vão trazer de volta o fluxo.Questão de encanemento,às vezes entope né?Mas aí desentope.Entendeu mais ou menos o que eu disse?hehehe
Boa sorte aí com os fluxos e encanamentos! ;)

Dauri Batisti disse...

Linda postagem. Bem traduz a alma humana, suas buscas, suas lutas, vitórias e decepções. Lindo texto.

Beijo.

Camila Colossi disse...

*-* liindaaa !

Calu Baroncelli disse...

te entendo.
tem horas que a gente evapora mesmo.
mas o bom disso tudo é que, logo, se pode chover de novo...

saudades das suas iscrivinhações.

Alexandre Henrique. disse...

Menina.... A mulher abriu a caixa de pandora!!! Prazer em te rever tb escritora!! Finalmente aquele tempo chegou! Desculpa a ausência, estive fora porque realmente, mas realmente precisei, mas é bom estar lendo. Foi coisa de saúde, mas estou bem. A água acabou aqui em casa, mas como HOMEN hsuhauheu paguei a conta voltou!! Eita estou cheio de poréms.
Belíssimo espelho Camilla. É quase um teste...
Senti a sua falta... mas é claro que vc estava sempre comigo.

Beijos, e obrigado pelo carinho.
Alex.

Friendlyone disse...

Camila, aí tem água sim que sei. Libera!

Beijos!

Germano Xavier disse...

Feliz Páscoa, Tebet.

Um carinho.
Continuemos...

Ana Raquel =] disse...

Vc sumiu do fotoblog e vim atrás de vc aqui!!! Como estás menina?? Saudade de vc viu?! Bjooooooooo

Roberto Ney disse...

mas ela virá...
e quando sua água escorrer por entre seus dedos, será uma enchente de palavras, um turbilhão de idéias e um oceano de reflexões.
abraço e muita inspiração pra vc...

Beatriz disse...

Vim ver se a fonte já havia jorrado a água de que necessitas...

Ela virá, amiga, certamente, no momento oportuno. Enquanto isto, passeie por entre os jardins dos teus sonhos, recolha estrelas na palma da mão, perfume teus cabemos no lago prateado da lua, e quando estiveres pronta, estaremos aqui para receber os mimos do teu coração transformados em belos versos.

Fica em paz, minha linda, fique com Ele.

Deixo uma rosa azul e um beijo nesse teu coração tão lindo.

Alexandre Henrique. disse...

Mulher cade vc para preencher os espaços vazios... ahhh saudades,parece que tou pagando uma vigança tua.. apareça quando der viu beijinhos flor.

Calu Baroncelli disse...

este silêncio dói na gente.

Paco disse...

talvez seja a hora de ficar sem escrever um pouco.

e ler o que está escrito aí dentro.

né.

Vivian disse...

...você não sabe a alegria e
emoção que sinto quando a vejo
passeando em meu chão.

será isso amor de outras vidas?
tenho certeza que sim...

amo você!

beijus, minha lindeza!