domingo, 17 de maio de 2009



O cd é pirata é assim mesmo, emperra. Bem quando estou concluindo um pensamento com a música, a coisa trava. Acontece assim comigo, chamo isso de azar.

Outras coisas acontecem comigo. Quando eu penso que é dia de pipoca e dvd, as pessoas me lembram que a hora do trabalho ainda não acabou. Acontece.

Estou no analista e choro copiosamente. Ele não me oferece um lenço. Quando se toca e oferece, eu pego e as lágrimas param de cair. Será que isso tem uma explicação psicanalítica?

Sempre quando a água sobe, estou de calças curtas. E chove por aqui viu, ah chove. Eu nunca estou de guarda-chuvas.

A cama é a cama e para a cama assim como a arte é a arte pela arte. Outros dizem que não. Falar a verdade não entendo muito de arte não. Sou artista sim, do meu palco.









Foto : CAOS by ~SELKETINFINITA


18 comentários:

Vivian disse...

...mas é claro que você
entende de arte.
entende sim, e das melhores.

a arte de encantar com suas
palavras sempre bem colocadas.

você é uma linda, e eu
te amo pra sempre...

bj, bj

F. Reoli disse...

Palco esse, sempre ILUMINADO, aliás...
te beijo

Letícia disse...

Muito bom, Amiga de Palavras Afiadas. Acabo de ler um texto que fala a respeito do Novo e Originalidade. E chego aqui e dou de cara com a Originalidade. Seja o seu palco, Camilla.

E também esqueço o meu guarda-chuva. Quase sempre. =)

Bjos.

Madame Morte disse...

Choros copiosos e psiquiatras insensíveis,não acontece só contigo^^

Somos reféns do tempo e de nossas próprias escolhas...impotentes...não sabemos de nada,nada mesmo.

Guardas-chuva são fáceis de esquecer,chuvas são legais,mesmo quando a previsão do tempo falha =)

Jaqueline Lima disse...

primeiro plano e preotagonista, roteirista e tudo mais...esse palco chamado vida é todo seu...

beijo bonita

Beto Mathos disse...

Isso é o bom! Ser artista de nosso próprio convívio, representar em nosso palco particular.
Grande beijo!

Mariah disse...

morro de medo de psicanalista, porem é um desejo que está no topo da minha lista...

Verônica Cobas disse...

Acho que estou muito bem humorada hoje. Na verdade, escolhi desencanar esta semana. Olhar sem complexidade, não tentar explicar muito, deixar prá mudar o mundo mais tarde. Por tudo isso é que quando li o seu texto, confesso, a primeira coisa que veio à minha cabeça foi a vontade de te dizer: Camila, nem todo dia é dia santo. Entáo..tirando os feriados, onde até esquecemos guardas-chuva, onde enfiamos o pé na poça, onde o vestido branco mancha de vinho, no resto do tempo é também uma questão de escolher...nem que seja ignorar a terra arrazada.
Que tal!!! E sim...te acho uma personalidade curiosíssima,instigante...que adoraria conhecer.

bjs. Veronica

Clarissa Marinho disse...

Adorei a última frase!Vou roubar!hehe
bjo

tossan disse...

Arte? Aqui é...Saia pra dançar...Que tal. Beijo

VaneideDelmiro disse...

A vida e seus trocadilhos...
Belo texto, me pegou pela identificação...

Narradora disse...

Artista do seu palco e dona da sua vida, gosto disso.
Bjs

João Neto disse...

Chuva, CD pirata emperrando, choro copioso, artista no próprio palco... é sério, nem Freud explica. Mas quem precisa de explicações? Artista não precisa entender de arte. Faz o que faz, e pronto. Escreve o que tem que escrever e nem precisa achar bonito, ou feio, ou avesso do avesso, ou certo, ou errado. É artista, fonte inesgotável que fará qualquer Freud procurar análise.

tarjha . disse...

saudade de suas visitas...
fiz um post sobre trabalho infantil gostaria da sua opinião, se puder passa lá em casa.

até mais!

F. Reoli disse...

E por falar em saudade... onde anda você? rs

VaneideDelmiro disse...

O texto dos teus espetáculos é gostoso de ler.

Carolina Sperb disse...

cada um é artista de seu próprio palco, da sua própria cena.

adorei o texto.
muito bom voltar a te ler!!

Alexandre Henrique. disse...

A sinceridade trabalha sozinha e dá um sono danado. Bom te ler, vc sabe bem o preço de um furacão.

Abraços,
Alex