quinta-feira, 25 de novembro de 2010

O buraco vermelho


Disseram que ela olhasse bem no fundo do buraco vermelho, para que tentasse descobrir ali o que estava faltando para ela acordar. E foi assim que acordou. Assustada de vermelho. E o buraco estava ali, no seu quarto. Quieto, apenas sendo buraco. Bem devegar, ela cobriu o rosto com a coberta e ficou um minuto ouvindo a própria respiração. Lógico que estava era esperando olhar e o buraco ter desaparecido.
Mas se no sonho disseram que ela precisava descobrir o que tinha dentro do buraco para acordar, era sinal que ela ainda estava dormindo. Não! Beliscou-se e realmente estava acordada. Não tinha coragem para levantar-se e investigar o mistério do buraco vermelho. Tremeu. Uma vez só. É, treme-se uma vez só, às vezes, quando o medo é tão grande que só da pra tremer uma vez.
Pensou em gritar, alguém iria ouvi-la. E vir a seu socorro. Gritou, e muito! Mas ninguém veio. Como assim? Onde estavam as pessoas da casa, por que não a ouviam? Olhou os próprios pés, as unhas estavam ficando azuis. O corpo estava gelado. Será que estava morrendo? Gritou mais e mais, sem resposta. Sentiu uma umidade na camisola de pano branco que usava. Tinha urinado sem perceber. Era isso, estava morta! E desesperada!
Perguntou-se se há desespero após a morte. Não sabia o que pensar. Alguém vestido de branco viria busca-la? Iria para algum outro lugar, ou seu destino pos mortem era ficar naquele limbo pessoal e conhecido que era sua cama.
De dentro do mais dentro dela veio uma coragem imensa e ela pos os pés no chão. Surpresa, não sentia o chão! Acabou minha vida! Deitou de novo e se escondeu de novo embaixo da coberta. Aquele pesadelo tinha que acabar. Sim, iria então flutuar até o buraco vermelho para descobrir o que tinha ali, e assim quem sabe poder acordar. Flutuou e se sentiu livre olhando bem no fundo do buraco. E o que viu?? Viu a si própria dormindo.
Bateram à porta:
- Abre menina, está na hora de acordar.
E ela pos os pés no chão!

5 comentários:

Letícia Palmeira disse...

Bringing everything on.

Hey,

Para com essa coisa de que não sabe me ler. Você sabe sim. Sempre leu. Desde os tempos de minhas criancices no cosmic library. E veja só o tempão que já nos conhecemos. We are a team. =)

Prazer é saber que vc está sempre por perto.

E eu já senti essa coisa de tremer só uma vez porque o medo era muito grande.

Bjo, Camilla.

E por onde anda a Lu?

Vivian disse...

...ah que delíciaaaaaaaaaaaaa!

minha menina, minha linda
Camilla, saiu do buraco
vermelho e veio direitinho
me visitar, me encher
de alegria por saber que
não fui esquecida por tão
lindo coração!

como sempre, profunda nos
posts, e nos obrigando
a pensar, é claro!

bj com amor!

não suma...

te adoro!

A Escafandrista disse...

adorei a leitura.A principio lembrou-me a Alice, do país das maravilhas :)

jefhcardoso disse...

Camilla! Eu não quero ter esse sonho, digo, PESADELO!
Parabéns pela escrita, a descrição foi ótima, você conseguiu passar para o leitor o que a menina do sonho sentiu!
Se tiver curiosidade já postei “Afinal, a cruel vingança do Senhor Inácio”
Espero que goste. Jefhcardoso do
http://jefhcardoso.blogspot.com

“O tempo é uma ilusão que traz em si a mais dura realidade, a finitude” (Jefhcardoso)

jefhcardoso disse...

Camilla! Eu não quero ter esse sonho, digo, PESADELO!
Parabéns pela escrita, a descrição foi ótima, você conseguiu passar para o leitor o que a menina do sonho sentiu!
Se tiver curiosidade já postei “Afinal, a cruel vingança do Senhor Inácio”
Espero que goste. Jefhcardoso do
http://jefhcardoso.blogspot.com

“O tempo é uma ilusão que traz em si a mais dura realidade, a finitude” (Jefhcardoso)