segunda-feira, 8 de agosto de 2011

Sem titulo, foto e legenda

-To de ferias da vida de essa ‘e sua obrigacao. Não consegui. Apertou muito os meus braços e eu deixei de ver a luz. Simplesmente os meus lugares são diferentes. Vou encaixar as pecas do meu jeito. Não suporto mais gritos. Mas o que mudou foi a minha vontade de ouvir. E’ incrível como se você estiver com vontade as coisas acontecem mais. Quando não se tem vontade, na verdade não da bola, as coisas parecem que não estão acontecendo com você. Uma questão de percepção. E a vida fica mais em paz. Lagos azuis. Nuvens brancas. Notas musicais que nos unam.
Eu sabia que o fio que conduziria minha vida – em algum momento dela – viria do meu umbigo. Olhei tanto pro meu umbigo que deu mal jeito no pescoço. Quando parei de olhar, saiu. E não ‘e nada de extraordinário, mas foi uma grata surpresa. Sabe quando foi? Antes de ontem. Tao recente. Mas acredito em milagres. Em todos eles, ate’ no mais profano.
E gralha que sou, vou logo anuciando ao meu povo. “ achei! E’ por aqui”. Todos ficam (mais uma vez) felizes por mim. Mas pouco deles acreditam que dessa vez vai.
E’ isso, talvez minha seja uma emocionante crônica, na qual a cada parágrafo você imagina da personagem central “ Dessa vez vai” . E nunca vai, porque a crônica nunca acaba. E o dia que tiver acabado eu não poder anunciar.
Mas não espero das pessoas mais do que um sorriso amigo e uns trocados. A analise agora e’ minha. Vou me analisar sem interferências por um tempo. Sabendo que a qualquer momento volto a pedir por interferência. Quem disser que não sou consciente est’a sendo injusto.
Estou de bem com meu espelho psíquico. Por que não aproveitar as altas da bolsa? Vou correr ate ter fôlego, quando acabar sento e chamo alguém pra me trazer água.
Agora as coisas estão mais fluidas. Ate o meu contato sensual com as pessoas. Me dei conta de que sempre fui atraída por sensualidades excêntricas, a seu modo.
Leio minha historia e a acho emocionante, cheia de coragem. Tive pedras no caminho. E não dessas que todo mundo tem. Eram pedras raras, chegavam a ser preciosas. Mas escalei, ate agora, todas elas. E sempre saio do outro lado.
Me sinto mais teimosa. Aceitei o meu jeito. Fazer o que se acredito demais em mim? E’, foi ante ontem.

Um comentário:

leila disse...

Bom demais...sua escolha é a Verdade!!!
beijos variados!